domingo, 17 de maio de 2015

Conhecendo Caraça em Minas Gerais -Brasil


Denominado Porta do Céu, esse é o lugar da paz, da tranquilidade. O clima frio e úmido colabora para respirar esse ar tão puro que encontramos nos passeios pelo parque. A 11 km do páteo principal fica a Pousada do Engenho, bela construção da antiga fazenda, hoje transformada em hotel. Acolhe para dormir e café da manhã. Almoço e jantar inclusos são ao do santuário.

Mais informações em: http://www.serradocaraca.tur.br/serra_do_caraca 







 Canarinhos voam e caminham entre as pessoas.  Sentem -se e estão seguros.

Por isso chamam de espelho d'água. O reflexo fica lindo quando a água é limpa:

Ainda é reflexo. e lembrou-me o poema de Vicente de Carvalho: A Flor e a Fonte que eu declamava quando criança: 


"Deixa-me, fonte! "Dizia
A flor, tonta de terror.
E a fonte, sonora e fria
Cantava, levando a flor.

"Deixa-me fonte, deixa-me, fonte!"
Dizia a flor a chorar:
"Eu fui nascida no monte...
Não me leves para o mar."
(Conheça o poema completo clicando nos links)
Vicente de Carvalho, in Rosa, rosa de amor (1902)



                             






 As gotas do orvalho ficaram presas na teia da aranha.




 A foto panorâmica mostra  o contraste que as nuvens provocam na paisagem



























Flores típicas de nossas matas colorem o parque do Caraça.






Sobre o museu e a história do Caraça, inclusive a história do incêndio, há um vídeo do Terra de Minas no youtube, muito bom.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Nordeste Brasileiro - Recife e João Pessoa











                                                                                                      Final de ano em Jaboatão dos Guararapes/ Candeas - Recife e início de 2015 em João Pessoa-Paraíba:













Visita a Igarassu, na Congregação das Religiosas do Sagrado Coração de Jesus.
Igarassu é onde foram feitas as filmagens de Lisbela e o Prisioneiro.






 A foto a seguir ficou desfocada, mas mostra o interior da roda construída a princípio para receber donativos à Congregação recebia as crianças que eram abandonadas e criadas pelas religiosas. A foto acima mostra a roda na parte pública.










Ilha de Itamaracá- Pernambuco

As fotos abaixo foram cedidas por Leandro Rezende:

Centro Nacional do Projeto Peixe-Boi, em Itamaracá









Tanques de recuperação do peixe-boi . Quando não se readaptam ao habitat natural, ficam vivendo nos tanques. Quando possível, esse é o principal objetivo do trabalho.





Para conhecer mais sobre o projeto Peixe-boi, visite: http://pt.wikipedia.org/wiki/Peixe-boi / http://www.icmbio.gov.br/cma/seja-um-voluntario /  http://www.icmbio.gov.br/cma/seja-um-voluntario   //    http://viajeaqui.abril.com.br/materias/peixe-vivo  /   http://silentspringbr.blogspot.com.br/2011/11/projeto-peixe-boi-ilha-de-itamaraca-pe.html

Um camaleão no Centro Nacional do Peixe-boi:


Click na foto para ampliar


Um camaleão sobre a árvore que usa como banheiro. rs.          Alguns turistas demoraram a perceber que água era aquela.


Praias vizinhas à sede do Centro Nacional do Projeto Peixe-Boi:


















Chegada  à Paraiba -João Pessoa, 
lugar tranquilo, de gente hospitaleira e gentil.  Lindas praias de água limpa e transparente recebem-nos no seu litoral. 


Tambaú é um lugar muito tranquilo. Muito artesanato e gente hospitaleira. Delícia de tapioca com recheios variados.



"O barquinho vai... a tardinha cai." Muitos barcos navegam por aqui.  (Click na foto para ampliar)


Tranquilidade é pouco para dizer desta praia e das ondas que nos banham. O sol é que é um perigo. As oito hras da manhã já parecem dez tanto ele queima.













João Pessoa é um lugar lindo.

No dia 6 de Janeiro fomos assistir um espetáculo que mistura natureza e cultura. É,  portanto,  algo que não se repete.  Cada tarde é única. Enquanto o sol se põe,  a execução do bolero de Ravel de dentro do barco.  Emoção indescritível.












Jurandy do Sax, no barco a remo, toca Bolero de Ravel enquanto o sol se põe.



Terminado o espetáculo, caminhada pela feira de artesanato local.
Vale a pena levar um dinheirinho para compras.
Na última barraca, o pedido de informação sobre a melhor forma de voltar a Tambaú.
Não é que a proprietária é a esposa do taxista mais conhecido da Paraíba?




Para fechar a noite foi esse táxi helicóptero que nos levou de volta ao hotel.   Tem sirene, barulho típico e aviso de aeroporto para chamar os passageiros.
O taxista e sua esposa, figuras incríveis, com histórias de vida fabulosas, um exemplo.



Deixou -nos em frente à igreja Santo Antônio, que aproveitamos para conhecer.





No dia seguinte, céu nublado e chuva sobre a cidade. Vista da janela do hotel:






À tarde, o sol já secava a areia da praia.



Sol Ramalho, nossa amiga poeta que reside próximo a Brasília é paraibana e estava em passei por seu Estado. Ofereceu-se para ser nossa cicerone - guia de turismo particular. Com ela conhecemos em tempo curto, lugares incríveis.

A Estação Ferroviária que recebe novos trens. A foto mostra o antigo e o moderno lado a lado.



A caminhada pelo centro histórico, local de construções imponentes e coloridas com suavidade pelos restauradores.



Igreja Frei Sao Pedro Gonçalves, de 1843, ao lado da Praça Antenor Navarro.
 

Esta placa na  Ladeira São Francisco, rua mais antiga da cidade, nos levou até até o Centro Cultural São Francisco, que funciona como um museu eclético com artesanato local e de outros locais do Brasil, inclusive MG.




Já na entrada, um altar belo que homenageia Santo Antônio na igreja de São Francisco.


Encantada com os detalhes desse púlpito entalhado em jacarandá.



Majestoso teto com pintura que provoca ilusão de ótica de que as imagens nos acompanham.

Belíssimos exemplo de arquitetura e arte barroca fora de Minas Gerais.



Detalhe do altar de Santo Antônio acima e  o altr na foto abaixo.





Quando o mosteiro era usado pelos freis, a comunicação era através das grades nas janelas.



Outra capella, com piso original de pedras em mosaico.



Detalhe do alto da escadaria que leva ao museu.

Guarda louça de época - sec XVI.

 Da janela, uma bela paisagem que descansa a vista e mostra ao longe a igreja de Frei São Pedro Gonçalves.


A igreja e mosteiro de São Francisco abriga dois belos, ricos e interessantes museus - um de artesanato, outro de arte sacra e móveis imperiais.  




Nossa Senhora do Leite

Do interior da igreja,vista da torre da igreja.




Detalhes da sala de reuniões





Vista do alto

Saída já com a tarde caindo.


Ainda sobrou um tempinho para conhecer a Academia Paraibana de Letras que fica no Cento Cultural.
Estátua de Augusto dos Anjos, poeta paraibano, falecido em Minas Gerais, nos recebe na entrada.




 Lendo poema de Augusto dos Anjos em seu livro original: EU e outros poemas.

Sol Ramalho, nossa anfitriã.