domingo, 17 de maio de 2015

Conhecendo Caraça em Minas Gerais -Brasil


Denominado Porta do Céu, esse é o lugar da paz, da tranquilidade. O clima frio e úmido colabora para respirar esse ar tão puro que encontramos nos passeios pelo parque. A 11 km do páteo principal fica a Pousada do Engenho, bela construção da antiga fazenda, hoje transformada em hotel. Acolhe para dormir e café da manhã. Almoço e jantar inclusos são ao do santuário.

Mais informações em: http://www.serradocaraca.tur.br/serra_do_caraca 








 Canarinhos voam e caminham entre as pessoas.  Sentem -se e estão seguros.



Por isso chamam de espelho d'água. O reflexo fica lindo quando a água é limpa:

Ainda é reflexo. e lembrou-me o poema de Vicente de Carvalho: A Flor e a Fonte que eu declamava quando criança: 


"Deixa-me, fonte! "Dizia
A flor, tonta de terror.
E a fonte, sonora e fria
Cantava, levando a flor.

"Deixa-me fonte, deixa-me, fonte!"
Dizia a flor a chorar:
"Eu fui nascida no monte...
Não me leves para o mar."
(Conheça o poema completo clicando nos links)
Vicente de Carvalho, in Rosa, rosa de amor (1902)



                             






 As gotas do orvalho ficaram presas na teia da aranha.




 A foto panorâmica mostra  o contraste que as nuvens provocam na paisagem



























Flores típicas de nossas matas colorem o parque do Caraça.








Sobre o museu e a história do Caraça, inclusive a história do incêndio, há um vídeo do Terra de Minas no youtube, muito bom.

2 comentários:


  1. De 16 a 17 de maio de 2015, Maria Angélica e eu fizemos ótimo passeio ao histórico Caraça, situado no município de Catas Altas, bem próximo à cidade Santa Bárbara/MG. A história do lugar teve início no ano de 1774, com o português Frei Lourenço, que veio para o Brasil em virtude de perseguição política da parte do rei de Portugal. Aqui recebeu apoio do imperador Pedro II e fundou o instituto Caraça, inicialmente com propóstios medicinais. Em 1820 foi transformado em seminário e se tornou o maior, senão um dos melhores educandários do País. Segundo dados da Wikipédia o Caraça é o nome de um trecho da Serra do Espinhaço localizado nos municípios de Catas Altas e Santa Bárbara, sendo patrimônio de Catas Altas no estado de Minas Gerais, Brasil. Também dá nome ao antigo Colégio Caraça, onde importantes personalidades da história brasileira estudaram. Hoje, o ainda conhecido por Parque Natural do Caraça ou Complexo Santuário do Caraça é uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), que abrange toda a região.1 2 3 4 5 6 7 8


    Santuário Nossa Senhora Mãe dos Homens.
    O nome oficial do complexo é o Santuário de Nossa Senhora Mãe dos Homens, mas o Caraça tem esse apelido devido à forma que tem parte da serra, que lembra o rosto de um gigante deitado. A serra forma imenso anfiteatro alongado, com os três picos do morro da Trindade, o da Conceição; ao sul, as serras da Olaria e da Canjerana, a Serra do Inficionado, o morro do Sol, a Serra do Carapuça. Anfiteatro de quatro quilômetros de largura, terreno em leves ondulações florestadas. As águas da bacia descem em belas cascatas das montanhas, como Cascatinha, Cascatona e Bocaina. Tais cascatas se abastecem dos ribeirão do Caraça, águas intensamente ferruginosas. No Caraça há dois lagos, o Tanque Grande, rodeado de bosques, e o Tanque São Luís. O disco de Milton Nascimento, Missa dos Quilombos, foi gravado ao vivo, em março de 1982, nas dependências da Igreja Nossa Senhora Mãe dos Homens.

    ResponderExcluir
  2. MISSA DOS QUILOMBOS - OFERTÓRIO: https://www.youtube.com/watch?v=nsS1CpVv6c0


    Ainda segundo dados da Wikipédia,

    O Colégio se caracterizou por sua seriedade e disciplina. Com períodos de pleno desenvolvimento, mas igualmente com fases de decadência, tornou-se referência do ensino para a elite de todo o Brasil. Dois futuros presidentes da República aí fazem seus estudos - Afonso Pena e Artur Bernardes - e outros tantos ex-alunos se tornaram governadores de estado, senadores e deputados, altas autoridades eclesiásticas.

    No século XIX, o colégio foi visitado pelos Imperadores Dom Pedro I e Dom Pedro II, cujas impressões ainda podem ser vistas no Museu do Colégio ou ainda na Biblioteca.

    ResponderExcluir